RSS

Bxano nos transportes públicos

13 maio

Nas minhas andanças por Paris quase sempre me deslocava de metrô. Eu como uma estudante não tinha condições de ficar andando de táxi, e na verdade (a não ser que você faça questão de andar de carro) nem é necessário. Já ouvi falar que o sistema de transportes públicos de Paris é um dos melhores do mundo, e não duvido. Só no metrô são 14 linhas que cobrem todas as zonas da cidade, ainda tem mais umas 5 linhas de trem que vão até a parte mais externa da cidade, incluindo cidades vizinhas. Também há os trens de grandes distâncias, que vão para as cidades de toda a França, e ainda de outros países. Além do metrô e do trem, ainda tem os ônibus. É possível ir de qualquer ponto da cidade a qualquer outro com apenas uma passagem (1,70 euros), fazendo correspondência entre as linhas de metrô, trem ou ônibus.

Andando de trem.

Andando de trem.

Para ser bem sincera dá uma inveja danada ver um sistema de transporte público como esse. A gente fica lembrando da raiva que passamos com o nosso sistema de transporte, ineficiente, insuficiente e caro! Eu nem digo lotado porque isso também acontece nas melhores cidades, mas se pelo menos funcionasse direito já seria um alívio. Lá também tem seus problemas. As estações não são tão limpas, a acessibilidade também não é o ponto forte, ainda carecem de elevadores e escadas rolantes, penamos um bocado quando andamos com malas. Dizem que as estações fedem a esgoto, mas eu não cheguei a sentir esse fedor, talvez eu não tenha andado nestas mais fedorentas. É comum também vermos artistas de rua que tocam algum instrumento pedindo uns trocados. Pelo menos duas vezes vi artistas cantando “Ai, se eu te pego” no metrô. A diferença dos artistas de rua/estação de lá para os daqui são os instrumentos. Vi pessoas tocando principalmente acordeon, mas também vi tocadores de violoncelo e trombone.

Um ponto que achei muito interessante tanto em Paris como em Lisboa foi a facilidade de acesso aos aeroportos. É muito comum aqui no Brasil o acesso aos aeroportos serem difíceis, nos deixando reféns de táxi, sempre caros por causa da distância. Os aeroportos de Paris assim como o de Lisboa, têm estações de metrô neles, uma “mão na roda”. Quando o aeroporto não tem uma estação, há serviços de ônibus até uma estação de metrô mais próxima.

Ahh, uma coisa curiosa que notei principalmente nos ônibus é que eles não têm catracas. Em alguns você pode entrar por qualquer porta, e você valida o seu bilhete em uma máquina ou paga diretamente ao motorista, não há cobradores. Eles estão sempre contando que você vai pagar por sua livre e espontânea vontade, porque se você quiser dar uma de esperto é possível, mas inesperadamente pode ter controladores que verificam se o seu bilhete está validado, se não tiver é multa na hora.

Em Orléans/FRA tem um sistema integrado de transporte público que inclui ônibus, tram elétrico (uma espécie de bonde), e bicicletas para alugar. Em todas as paradas do tram elétrico tem uma máquina para comprar os bilhetes e um mostrador que indica o tempo de espera para o próximo tram.

Eu na chuva e no frio esperando o tram.

Eu na chuva e no frio esperando o tram.

Mostrador da direção e tempo de espera.

Mostrador de direção e tempo de espera.

Parada do tram com a máquina de comprar o bilhete.

Parada do tram com a máquina de comprar o bilhete.

Lisboa/POR também não fica atrás quando se trata de transporte público. O sistema de metrô não é grande como o de Paris, tem apenas 4 linhas, mas ainda assim é muito eficiente. As estações são muito limpas, tem acessibilidade e são bem decoradas, cada uma tem um estilo particular.

Elevador de cadeirantes.

Elevador de cadeirantes.

Além do metrô, há os ônibus e bondes elétricos, todos com sistema integrado de bilhetagem. Tem um bonde muito famoso por lá que fiz questão de dar uma volta, é o elétrico linha 28. É bem antigo, feito de madeira e os controles são todos bem antigos. O percurso dele passa pela parte antiga e becos da cidade, por isso mesmo é mais frequentado por turistas do que pela população em geral.

Elétrico linha 28

Bonde feito principalmente de madeira.

Bonde feito principalmente de madeira.

Controles do condutor, trabalho pesado.

Controles do condutor, trabalho pesado.

Ao final mais fotinhas das estações de metrô de Lisboa. Quem sabe um dia a gente chega lá.

A bientôt

2013-05-03 10.34.28 2013-05-03 11.57.50 2013-05-03 14.29.212013-05-03 14.51.10 2013-05-03 14.47.48 2013-05-03 14.54.09 2013-05-03 14.56.24

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em 13/05/2013 em Geral

 

Tags: , ,

Uma resposta para “Bxano nos transportes públicos

  1. Julio Cesar

    15/05/2013 at 10:00

    “Quem sabe um dia a gente chega lá”. Iiiihh… vai demoraaaaaaar… rsrsrsrs

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: